Sinais promissores no panorama da energia

Nas últimas semanas este jornal tem publicado notícias animadoras para o setor sucroalcooleiro, principalmente quanto ao interesse de invest...



Nas últimas semanas este jornal tem publicado notícias animadoras para o setor sucroalcooleiro, principalmente quanto ao interesse de investidores, até mesmo do exterior, na compra de instalações voltadas para a produção de energia elétrica com bagaço de cana-de-açúcar. É importante, já que de 380 usinas existentes 170 vendem energia (Estado, 18/5), a partir de sua capacidade de 9.331 MW (equivalentes a 70% da energia da usina de Itaipu). Mas o setor sucroenergético está em crise - 80 usinas paradas, 23 em recuperação judicial -, por várias razões. Sua recuperação poderá levar a avanços relevantes no setor de energia em geral: as biomassas só participam com 4% da matriz energética; com a expansão da energia produzida com o bagaço essa participação poderia ser multiplicada por quatro (Agência Estado, 8/5), já que hoje 97% da área de produção de cana está mecanizada.

Entre outras vantagens, além da baixa emissão de poluentes, está a de que o preço médio da energia ali fica em R$ 210/ MWh (18/5), segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), enquanto o País tem pago algumas vezes mais, com preços até acima de R$ 600 (e de R$ 540 no consumo pelas indústrias, por exemplo), por causa do acionamento maciço de termoelétricas, com a queda na geração por hidrelétricas, dada a crise da água. Esse acionamento das térmicas, além da alta poluição, já custou às redes de distribuição mais R$ 25 bilhões (14/5) - tanto quando todo o programa Bolsa Família, segundo o consultor Raul Velloso (Estado, 14/5).

Na Câmara dos Deputados, em Brasília, está em discussão projeto apoiado pela Frente Parlamentar de Valorização do Setor Sucroenergético que propõe revisão de dívidas do setor (R$ 50 bilhões) e apoio à geração energética do bagaço de cana. Mas o panorama ainda está tão favorável às termoelétricas que um grande grupo econômico norte-americano vai instalar uma usina desse tipo no Rio Grande do Sul, com investimento de US$ 2,7 bilhões, para fabricar fertilizantes a partir do carvão gaseificado (Agência Estado, 8/5).
Para o cidadão consumidor, eventuais transformações para melhor na matriz energética poderão significar, além da menor poluição do ambiente, menos despesas. A bandeira tarifária já reflete o custo das termoelétricas, que subiu R$ 2,4 bilhões por causa delas (Estado, 14/5). Mas ainda não se conseguiu a vantagem dada aos condomínios residenciais - 20% a 30% menos. A Aneel exige (14/5), para a redução na conta dos consumidores residenciais, que eles sejam pessoas jurídicas.

Impressiona verificar que o Brasil, com seu enorme potencial para geração de energias renováveis - sol o ano todo, água, território para biomassas, marés, ventos em muitas áreas favoráveis -, ainda venha ocupando apenas o sétimo lugar entre os investidores nessa área. E é exatamente com o aumento da geração de energia eólica que este ano o País deverá voltar à lista dos maiores investidores no mundo (Estado, 1.º/4), de acordo com informações do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). No ano passado o investimento total foi de US$7,6 bilhões, dos quais 84% se destinaram a usinas eólicas.

No mundo, em 2014 foram 17% em energias renováveis, um total de US$ 83,8 bilhões, dos quais quase um terço para eólicas e solares. Aqui, a eólica hoje responde por apenas 4,5% da matriz geral, com 6 GW. Na União Europeia, as renováveis significam 15% da matriz. E se espera que cheguem a 20% em pouco tempo, com destaque para a Suécia (52,1% do total) e para a forte progressão dos investimentos na Alemanha.

Muitos estudos de cientistas e universidades têm alertado para a visão de que 80% das reservas de combustíveis fósseis no mundo não devem ser exploradas, como tem sido mencionado em artigos nesta página. O uso desses combustíveis não é compatível com o veredicto científico de que é indispensável conseguir que o aumento da temperatura planetária não exceda 2 graus Celsius até 2050 - e já subiu 0,8 grau. Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (ONU), com as tendências atuais a temperatura poderia elevar-se em mais de 3 graus - com consequências dramáticas.

Nesses cenários, fica difícil entender parte das discussões que ocorrem no Brasil no setor de petróleo, principalmente quanto à exploração na área do pré-sal. Já foi dito aqui que nem sequer se conhece quais são as tecnologias adequadas para essa exploração em águas profundas que se pretende usar - e suas consequências. Deixa-se de lado a visão econômica para o setor, depois que os preços do barril de petróleo caíram mais de 50%. Também - como lembra o economista José Roberto Mendonça de Barros (Estado, 3/5) - a capacidade de investimento da empresa estatal é praticamente nula, após os escândalos que estão nos jornais: "O setor ficará longe de ser o puxador do crescimento que se imaginava".

E mesmo que não estivessem presentes esses fatores, que pensa o governo brasileiro das restrições ao petróleo, ao carvão, ao gás - no quadro do clima? Que fará, no quadro da crise econômica atual, sabendo que nossa empresa de petróleo, segundo a revista Forbes, caiu no ranking das maiores empresas, do 10.º lugar que ocupava para o 416.º? Países mais ricos continuam subsidiando os preços do petróleo. Por aqui, o quadro de crise certamente põe em questão esse rumo.

E se o panorama das hidrelétricas também parece complicado, principalmente na Amazônia, a esperança maior só pode estar na biomassa, assim como na energia eólica (desde que se resolva o problema da conexão das geradoras à rede de transmissão) e na solar, que terá em agosto um leilão exclusivo para vender sua energia.

É preciso insistir: o Brasil pode ter um caminho muito promissor se fizer uma opção clara pelas energias renováveis - sem perder mais tempo, nesta hora em que tantos países aceleram a marcha.

Fonte: O Estado de São Paulo

COMENTÁRIOS

Nome

14136,1,14136:2002,1,16280,11,abastecimento,7,Abinee,2,ABNT,22,Abraceel,3,abradee,7,ação social,3,acidentes,9,ADASA,1,administração de condomínios,6,AES,2,água,28,Alston,1,ambiente interno,1,ANA,1,Anatel,5,Android,1,aneel,67,Angra,1,ANP,1,apagão,8,Aplicações,2,aplicativo,5,Apple,2,aquecedor solar,2,aquecimento,3,ar condicionado,3,arquitetura,4,ART,2,Asolar Energy,1,associações,3,assosindicos,29,assosindicos-df,25,aterramento,2,audiência pública,5,autoconsumo remoto,1,autogeração,4,autogeradores,2,automação,1,automóvel,6,autônomo,5,Baidu,2,bairro,1,banda-larga,6,bandeiras tarifárias,55,barrageiro,1,bateria,27,Belo Monte,9,bicicleta,2,biodiesel,2,bioenergia,5,biogás,1,biohacking,1,biomassa,5,biotecnologia,1,blog,4,blogueiros de brasília,7,BNDES,11,boletos,1,bom negócio,2,Bovespa,1,bricolagem,1,BRICS,2,burocracia,1,cabeamento estruturado,2,Cade,2,CAESB,3,calculadora,1,campanha,4,carnaval,1,carregador,6,carreira,15,carro elétrico,23,cartel,3,cartilha,5,carvão,2,catavento,2,CCEE,7,CEB,32,CELG,2,celular,11,células de combustível,1,centrais hidrelétricas,1,cesp,1,cftv,2,charge,3,chefe,1,China,9,chip,1,choque,4,choque elétrico,6,cidade inteligente,4,Ciência,8,Cinema,2,classe,1,CLDF,6,climatização,1,CO2,7,código de posturas,1,cogeração qualificada,1,coletores solares,1,combustíveis,4,comércio,2,computadores,4,comunicação,11,concessionárias,8,concurso público,1,condomínio,27,Condomínios,27,congresso,3,conjuntura,1,construção civil,3,consulta pública,7,consumo,77,conta,69,controle de acesso,1,convenção,1,convênios,1,convivência,5,CoP21,4,Copel,2,corrupção,7,CPFL,10,CREA,5,CREADF,4,crise,10,crise energética,12,crise hídrica,58,CSEM,2,cultura,4,currículo,5,cursos,22,custos,4,decreto,1,defesa civil,4,desabastecimento,2,descarga atmosférica,6,descarga elétrica,6,descargas elétricas,5,desmatamento,3,diesel,3,direito tributário,1,disjuntores,1,Dispositivo de Proteção contra Surtos,2,Dispositivo DR,2,distribuidora,15,Distrito Federal,7,dívida,4,Doe Sangue,1,DPS,2,drones,3,ecológico,2,economia,158,Edificações,7,Eduardo Braga,3,educação,12,eficiência energética,25,elétrica,11,eletricidade,46,eletricista,3,eletrobras,8,eletroeletônicos,1,Eletrolão,1,eletrônica,4,Eletros,1,elevadores,3,empreendedorismo,9,emprego,15,empreiteiras,2,Empresa de Pesquisa Energética,3,Empresas,4,Empresas abertas,1,Empresas brasileiras,1,Empresas estatais,1,endividamento,3,energia,88,energia elétrica,85,energia eólica,30,energia limpa,19,energia nuclear,4,energia renovável,32,energia solar,107,energia sustentável,13,energias alternativas,17,engenharia,28,ensino,6,entidades,1,entretenimento,1,eólica,16,EPE,6,escola,4,escolaridade,1,estágio,1,Estatais brasileiras,1,estatísticas,1,estatuto,1,evento,18,exposição,6,fábrica,7,facebook,2,falta de energia,9,família luz,1,feira,5,FGTS,4,Fiepa,1,finanças,4,financeiro,2,fios e cabos elétricos,11,fluorescentes,4,FMI,1,fontes renováveis,19,fotovoltaico,52,fraude,7,frente parlamentar,2,Funai,1,futuro,5,gás,8,gás natural,8,gasoduto,1,GDF,30,General Electric,1,gênero,1,geração compartilhada,1,geração de empregos,2,geração de energia,25,geração distribuída,8,geração eólica,18,geração solar,26,gerador,7,geradores a diesel,1,Gere sua energia,1,gestão,9,golpe,1,google,6,governo,67,greenpeace,2,greve,1,grupo gerador,1,habitíssimo,1,halógenas,3,heliotermia,4,heliotérmica,4,Hemocentro,1,hidrelétrica,20,hidrelétricas,27,hídrica,1,hidrometração,2,hidrômetro,1,história,3,HORÁRIO DE BRASÍLIA,6,HORÁRIO DE VERÃO,7,HORÁRIO DE VERÃO 2014/2015,2,hospital,1,HTTP/2,1,ibge,1,ICMS,9,idade,1,identificação,1,IDV,1,iluminação,24,imóveis,3,impeachment,2,impostos,12,inadimplência,3,incandescentes,4,individualização,1,indústria,18,inflação,3,informação,7,infraestrutura,7,Inmetro,1,inovação,66,inspeção,6,instalações,13,internet,34,investimentos,41,iPhone,1,irregularidades,5,Israel,1,ISSE 2016,1,Itaipu,7,Jirau,4,lâmpadas,12,laudo,7,laudo técnico,10,laudo termográfico,1,led,13,legislação,5,lei,18,leilão,12,licitação,3,light,3,linguagem de programação,2,linhas de transmissão,3,linux,1,literatura,2,lítio,1,livros,5,lixo,5,LUOS,5,luz,67,manutenção,14,marco civil,7,marketing,1,matriz elétrica,8,MDIC,1,megausinas,1,megawatts,1,MEI,1,Meio Ambiente,6,mercado,37,mercado de trabalho,7,mercado imobiliário,4,Mercosul,1,metrô-df,7,MG,2,Micro Empreendedor Individual,2,microgeração,26,microgeração de energia,28,microgeração distribuída,13,microsoft,5,microtorres eólicas,2,Minas Gerais,2,minigeração distribuída,4,Ministério de Minas e Energia,22,MMA,2,MME,14,mobilidade,1,Módulos Fotovoltaicos,4,monitoramento remoto,1,Montes Claros,1,mortes,3,motores a diesel,2,motores elétricos,1,MP,3,MTE,2,multinacional,2,museu,3,nanotecnologia,1,NBR,19,negócios,3,no-break,2,Normas,25,normativa,3,Norte de Minas,1,Novas tecnologias,2,NR-10,3,nuvem,2,onedrive,1,ONS,17,orelhões,1,outorga,1,painéis solares,29,painel fotovoltaico,41,palestra,7,para-raio,3,parecer técnico,1,Parque Tecnológico Itaipu,5,parques eólicos,8,pás de rotor,1,pátio,1,patrão,1,Pequenas empresas,2,perfil,1,pesquisa,25,petróleo,3,pilha,1,PL,21,placa fotovoltaica,26,planejamento,6,plano de privatização,4,plantas,2,plástico,1,PLS,5,pocel,1,política,7,poluição,5,portabilidade,7,Portugal,1,potabilidade,1,PPCUB,5,PPP,1,preço,4,Prefeitura de São Paulo,1,premiação,1,prevenção,3,primeira indústria de painéis,3,procel,3,professor,1,profissional habilitado,17,profissional liberal,7,Project Sunroof,1,projeto de lei,25,projetos na área,16,pronatec,1,proposta,7,Proteste,2,qualidade da água,1,QUANDO COMEÇA O HORÁRIO DE VERÃO,5,QUE HORAS SÃO,5,racionamento,9,rádio JK FM,1,raio,3,raios,5,recarga,1,reciclagem,4,rede inteligente,5,redes de smart grid,6,redes sociais,11,Reformas,10,registro profissional,4,regras,5,regras de convivência,5,reservatórios,16,resíduos,2,resolução,7,retrofit,1,revisão,1,revolução,2,RFID,1,risco de apagão,3,robôs voadores,1,rolamentos,1,salário,3,Santo Antônio,2,saúde,8,Sebrae,2,sedhab,1,segurança,30,seminário,1,Senai,3,Serviços,3,setor,4,setor elétrico,91,similares,1,síndico,15,Síndicos,20,sistema elétrico,5,smart grid,18,smartphone,6,sobrecarga,1,Socioeconomia,2,software,9,solar,26,Spotify,1,startup,2,stj,2,subsíndico,4,sustentabilidade,32,tarifa,92,TCDF,1,teatro,1,Técnicas,2,técnico,5,técnico de grau médio,10,técnicos industriais,15,tecnologia,41,tecnologia da informação,34,telecomunicações,16,telemedidores,2,temperatura,1,termelétrica,8,termografia,1,termologia,1,tesla,5,trânsito,1,transmissão de energia,6,tributação,7,turbina,4,turbina eólica,9,TV Digital,5,Ubuntu,1,UnB,6,União Européia,1,urbanismo,1,usina hidrelétrica,15,usina nuclear,2,usina solar,19,usinas eólicas,10,vento,1,video,6,videovigilância,1,vistoria,3,vizinho,3,voltagem,1,web,6,webinar,3,whatsapp,7,workshop,1,zelador,1,
ltr
item
apservtec: Sinais promissores no panorama da energia
Sinais promissores no panorama da energia
https://lh5.googleusercontent.com/proxy/LS32GGdMLanlceDOwBi-IFJ-sFjsVymGrCMEqU5GlLAp1zmvpJZ7c-5qc2D3s_JONnIxzneEZ2irY8EHv_8iVAGak5RrpdABqV6dUMwejFqzpEXrKM_26Kdj39yXTws
https://lh5.googleusercontent.com/proxy/LS32GGdMLanlceDOwBi-IFJ-sFjsVymGrCMEqU5GlLAp1zmvpJZ7c-5qc2D3s_JONnIxzneEZ2irY8EHv_8iVAGak5RrpdABqV6dUMwejFqzpEXrKM_26Kdj39yXTws=s72-c
apservtec
http://servicos.atualidadepolitica.com.br/2015/05/sinais-promissores-no-panorama-da.html
http://servicos.atualidadepolitica.com.br/
http://servicos.atualidadepolitica.com.br/
http://servicos.atualidadepolitica.com.br/2015/05/sinais-promissores-no-panorama-da.html
true
104026982293760891
UTF-8
Carregar todos Post não encontrado Ver Todos Ler Mais Responder Cancelar resposta Deletar Por Início PÁGS POSTS Ver TUDO RELACIONADAS TÓPICO ARQUIVO BUSCAR TODOS A busca não retornou respostas Início Domingo Segunda Terça Quarta Quinta Sexta Sábado Dom Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Jan Fev Mar Abr Maio Jun Jul Ago Set Out Nov Dez agora 1 minuto há $$1$$ minutos 1 hora há $$1$$ horas Ontem há $$1$$ dias há $$1$$ semanas há mais de 5 semanas Seguidores Seguir CONTEÚDO EXLUSIVO - COMPARTILHE PARA ACESSAR 1º Compartilhe em suas redes sociais para liberar 2º Clique no link compartilhado em sua rede social Copiar TUDO Selecionar TUDO Todos os códigos foram copiados Códigos/textos não copiados, pressione [CTRL]+[C] (ou CMD+C no Mac) para copiar Sumário